Importante: Somente 3 (três) Conselhos da área de Saúde – que possuem conhecimentos na área de Neurofisiologia – têm Legislação que permite a utilização de Técnicas de Hipnose, em suas estritas áreas de atuação.

Importante : Jamais realize Hipnose com profissionais que não estejam registrados  em seus respectivos Conselhos; bem como, não tenham realizado capacitação específica na área, em Instituições Éticas. (Hipnoterapia, Hipniatria e Hipnodontia).

1) RESOLUÇÃO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA N.º 013/00 ,DE 20 DE DEZEMBRO DE 2000
 Aprova e regulamenta o uso da Hipnose como recurso auxiliar de trabalho do Psicólogo.

Leia Mais →

Share

marin-monroeArtigos veiculados no Jornal “O GLOBO”

Jornalista : Márcia Cezimbra

Comentários : Psicóloga : Edy Maria Alves de Oliveira

Livros revelam relação da atriz com psicanalistas e apontam indícios de seu suposto assassinato

por Marcia Cezimbra

Leia Mais →

Share

– Fomentar e desenvolver pesquisas Hipnológicas e Hipnoterapeuticas.

– Trabalhar e zelar pela Ética profissional , pela defesa , regulamentação e fiscalização do exercício da Hipnose e Hipnoterapia.

– Congregar e estimular relações científicas, culturais e sociais entre os Hipnoterapeutas brasileiros .

– Promover grupos de estudos para a discussão de assuntos pertinentes ao trabalho Hipnoterapeutico.

– Participar e/ou organizar reuniões, seminários, palestras, eventos, referentes à hipnoterapia.

– Combater toda e qualquer aplicação da Hipnose anti-Ética e como entretenimento, seja por Hipnoterapeutas, ou leigos, com base nos dispositivos legais.

– Cursos e Atendimentos Clínicos.

Share

O Instituto Brasileiro de Hipnoterapia, é uma Instituição dedicada ao ensino e pesquisa da Hipnoterapia.

Localizado em Copacabana – Rio de Janeiro, tem por objetivo divulgar a Hipnoterapia, através de:

  • Cursos de Hipnoterapia – Psicólogos e alunos do 7º período de Psicologia.
  • Cursos de Autohipnose – Público, em geral.
  • Palestras – Público, em geral.
  • Atendimentos: Clínica e Clínica Social (preços acessíveis).

 

Share

 

 

CURA/ HIPNOTERAPIA


DEPOIMENTOS

 

   Desde 1999 que comecei a sentir alguns sintomas como vertigens, náuseas e calafrios, que foram diagnosticados como Labirintite.  Porém, os sintomas foram aumentando e se tornando mais frequentes.  Procurei então um Neurologista, que diagnosticou Síndrome do Pânico, receitando-me Rivotril e acompanhamento psicológico.

Leia Mais →

Share

 

 

            INSTITUTO BRASILEIRO DE HIPNOTERAPIA

 

 

                             

CURSO DE HIPNOTERAPIA / 09/03/2015 – Técnicas de Hipnose aplicadas à Terapia.

PÚBLICO ALVO:  Psicólogos , Médicos Psiquiatras e estudantes, a

partir do 7ª semestre.

  OBJETIVOS:

  • Propiciar aos alunos a Capacitação Teórica – enfatizando as Bases  Neurofisiológicas da Hipnose; bem como,  a prática da Hipnoterapia.

 

  • Divulgar  esta eficiente Técnica de forma séria e ética , principalmente, considerando que, embora, a Hipnose seja milenar, sempre foi colocada como uma "Técnica de Palco", explorada por leigos e sem conhecimentos adequados de Neurofisiologia.Isto, levou-a ao descrédito e medo, pela maioria das pessoas. 

MARCO TEÓRICO:

  • Pautado em diversas Áreas do Conhecimento, tais como: Psicologia, Neuropsicologia, Neurociências, Coaching, Programação Neurolinguística.

 

SITE : www.ibhipnoterapia.com.br

E – MAIL: institutobrahipnoterapia@yahoo.com.br

TELEFONES: (021)  2287 – 5781   / 99633-1492

 

 

 

 

 

Leia Mais →

Share

Enviadas: 30 de Agosto de 2010, 22:00
Nome: LP

Estado: Rio de Janeiro

Comentário: Sofro de alergia a 17 anos,quando me separei. Também, pelo receio de não conseguir "ereção", não consigo mais me relacionar… Pela hipnoterapia eu poderia reverter esse quadro? 

 

Leia Mais →

Share

Enviadas: Segunda-feira, 20 de setembro de 2010 15:00
Assunto: Olá!!!! Fale com o IBH
Nome: Maria Inês  

Estado: Rio de janeiro

Comentário: Gostaria de obter informações sobre a aplicação das técnicas de Hipnose para tratamento de Anorexia. Minha filha possui este quadro e gostaríamos de tentar alguma forma de diminuir sua angustia. Agradeço .

 

Leia Mais →

Share

Data: 27 de Maio de 2009, 12:21
Nome: L. S
Estado: Rio de Janeiro
Comentário: Minha esposa sofre de Síndrome do Pânico, agorafobia e ansiedade generalizada.Gostaria de saber se a Hipnoterapia é recomendada para estes casos. Atenciosamente.

Leia Mais →

Share

É a própria História da Humanidade, pois desde o início da Civilização as doenças eram, praticamente “Curadas” pela Sugestão. Na Índia e Caldéia , desde 2.400 anos A.C., estas práticas já eram conhecidas:

Cristianismo – Como era uma prática considerada pagã, a Igreja desestimulou o seu uso. Entretanto, Jesus Cristo, com seu poder de liderança e oratória,talvez, tenha sido um grande Hipnotizador. Isto não o desmerece, nem o denigre, apenas, confirma o que a Neurofisiologia Moderna corrobora sobre as afirmações de Pavlov : “A Palavra é o maior condicionador do Cérebro Humano”; bem como ser a Hipnose uma condição natural do Cérebro – momentos de Inibição Cortical – ou seja, sua propensão em aceitar “Sugestões”.

Avicena – Médico persa, filósofo(980 a 1036) – Primeiro a compreender a “Auto – Sugestão”, ao demonstrar que a imaginação do homem podia atuar além de si mesmo; ou seja, mesmo à distância podia fascinar, modificar e influenciar outros.

Paracelso (1493 – 1541) – Alquimista e médico Suíço – Acreditava na influência magnética dos astros sobre o Corpo humano.

Descartes (1596 – 1650) – Matemático e fundador da Filosofia, também, supôs a existência de uma matéria sutil que atuaria em turbilhões, o que poderia explicar alguns fenômenos da natureza.

Isaac Newton (1642 – 1727) – Não era dotado de um espírito místico, mas afirmou que deveriam ser realizadas experimentações para determinar as leis que deviam reger o “espírito sutil universal”.

Maxwell (1679) – Publicou um “Tratado de Medicina Magnética” – Este Espírito Universal se encontra em toda a Natureza – livre de entrave – quem souber se unir com um ” Corpo” que lhe convém possuirá todas as riquezas do Mundo. E aquele que souber agir sobre o “espírito vital de cada indivíduo” poderá “Curar” à distância.

Mesmer (1734 – 1815 ) – Austríaco, com formação em medicina, filosofia, teologia, música, astrologia e jurisprudência, também, sustentou a tese de que os Corpos Celestes exerciam influência nos Corpos vivos – fluído universal. A doença seria uma desorganização destes fluídos e imaginou um imã para concentrar e dar-lhe uma direção correta. Para ele, o magnetizador , por meio de passes com as mãos, utilizaria seu próprio magnetismo animal. Seu trabalho teve grande repercussão em Viena. Mozart era um dos freqüentadores do seu consultório. Entretanto, os ilustres médicos da Europa não puderam suportar tanto prestígio e começaram a difamá-lo, através de uma comissão para estudar estes “fluídos invisíveis”. Na verdade, ele “Curava” graças à “Sugestão” e, se soubesse , naquela época, a explicação e os benefícios deste fenômeno da imaginação – que bem sabemos hoje – poderia ter se transformado num grande expoente da Ciência. Foi bastante perseguido e passou o resto de sua vida se mudando de residência mas, sempre, trabalhando de acordo com suas crenças, principalmente com pobres, pois tinha boas condições financeiras.

Puységur ( 1751-1825) Discípulo de Mesmer – Demonstrou o fenômeno do “Sonambulismo” e, isto, facilitou a continuação do Hipnotismo.

Abade Faria ( 1756 – 1819) – Nasceu em Gôa , colônia portuguesa na Índia e morreu na França. Deu a primeira “explicação da Hipnose ” desligada de fluídos. Estudou as “Sugestões Pós – Hipnóticas” . Demonstrou que o agente magnetizador tinha papel secundário, pois era a atitude receptiva do paciente e o Rapport (motivação – entre os dois) que determinava o processo de “Cura”.

James Braid – (1795 – 1860) – Cirurgião Oculista de Edinburgh -Começou a se interessar pelo assunto quando assistiu uma exibição de Charles Lafontaine – que recebera severa oposição do Papa Pio IX – por “tentar imitar os milagres de Cristo”. Braid era sensato e cauteloso e continuou seus estudos empregando, pela primeira vez, o termos “Hipnose, derivado do grego (hypnos = sono). De início , acreditou que o “Estado de Hipnose” era similar ao “Estado de Sono”, depois percebeu que era diferente, mas até hoje, infelizmente, perdura este conceito.Foi ele o criador do Método de “Fixação do Olhar”. Descobriu a “Sugestão Vigil” em pessoas que foram submetidas, várias vezes, ao processo. Assim, o termo “Sugestão” se consolidou, definitivamente .

Ele afirmou que a Sugestão produz Monoideísmo – Estado – sob a influência de uma idéia dominante. Observou, também, que mesmo em Estado de Vigília, alguns sujeitos podiam produzir estados de alucinações, catalepsia ou ilusão. Ou seja, o Monoideísmo pode aparecer no estado de Hipnose e Vigília.

Liébeaut ( 1823 – 1904 ) – Iniciou seus trabalhos de medicina na zona rural, próxima da cidade de Nancy – França, realizando um trabalho de “Cura” numa paciente de Bernhein.

Bernheim (1837 – 1919) – Famoso professor de Medicina em Estrasburgo considerava Liébeaut um charlatão e ficou surpreso com resultados, em sua paciente, quando já havia tentando todos os recursos medicinais. Se tornaram amigos e Braid começou a prestigiar e divulgar o Hipnotismo de Faria, Braid e Liébeaut ao introduzir, em quase todos os ramos da medicina, o seu emprego – criaram a Escola de Nancy. Ele tratou mais de 1.000 pacientes utilizando, inclusive, a Técnica de Hipnose prolongada (duas horas). Explicou a “Sugestão como: “um ato pelo qual uma idéia é introduzida no Cérebro e aceita por ele”. Esta introdução pela palavra podia ser reforçada pelos gestos, entonação, etc.

Escola de Nancy – Afirmou que a Hipnose era um fenômeno resultante da Sugestão – Lei do Ideodinamismo – A “Idéia sugerida e aceita, que tende a se fazer ato”. Também, que a Hipnose era um fenômeno comum nos indivíduos normais e seu valor era terapêutico.

Charcot – (1825 – 1893) – Anatomista , fisiologista e homem das Ciências, mas, também, incorreu no erro de acreditar na ação dos metais. Acreditou que a Hipnose era resultado da patologia – histeria. Apresentou o Hipnotismo em três fases: catalepsia, letargia e sonambulismo. Como era um médico conceituado, ajudou a difundir o Hipnotismo(embora tivesse cometido estes grandes erros) ao ajudar na criação da Escola de Salpêtrière e introduzir a Hipnose na Faculdade de Medicina. Presidiu o primeiro Congresso Internacional de Hipnotismo (1889), com a participação de Freud, Lombroso, Bernhein, Janet, Babiski, Bechterev, Wiliam James, dentre outros. Foi criada uma Associação Internacional de Hipnologia.

Escola de Salpêtrière – Paris – As duas Escolas se contrapuseram durante 10 anos. A de Nancy acreditava na Hipnose para todas as pessoas normais e a considerava, portanto, terapêutica e, de Salpêtrière, pensava ser uma condição patológica.

Freud e Breuer – Freud (1885 e 1886) foi aluno de Charcot , no Hospital de Salpêtriere, e pode observar suas investigações sobre a Histeria que, mediante a Hipnose, podiam ser induzidos ou suprimidos alguns sintomas , sugerindo que a etiologia não era Orgânica e, sim , Psicológica . Freud se tornou grande adepto do Hipnotismo até Breuer demonstrar-lhe que não bastavam “sugestões diretas”para remover os sintomas, era necessário, também, a eliminação das “emoções do Inconsciente” – o Método foi denominado “Cartático” – nascia a Psicanálise.

Hipnose X Dificuldades de Freud – Não conseguia Hipnotizar todos seus pacientes. Hoje, graças aos conhecimentos da Neurofisiologia Moderna, sabemos porque não compreendeu o processo do Transe Hipnótico, o que contribuiu para relegá-lo e criar a Psicanálise :

  • A maioria dos pacientes eram mulheres – histéricas que fingem as sensações (inclusive o Transe Hipnótico). Em geral, apresentavam uma aparente melhora e, obviamente, os sintomas retornavam já que não era verdadeiro o Transe – ou seja, não “vivenciavam” as emoções reprimidas e, conseqüentemente, não podiam removê-las.
  • Acreditava que nem todos os pacientes entravam no Transe Hipnótico. Hoje, sabemos que o grau(leve, médio e profundo) depende do tipo de Hemisfério de cada um, do Rapport, Técnicas utilizadas, número de sessões, etc.).

Psicanálise X Hipnose – As causas pelas quais a Psicanálise se desenvolveu , enquanto a Hipnose retroagiu foram várias:

  • A Psicanálise precisava se firmar como Ciência – Pensamento Cartesiano – foi Ernest Jones (seu ex- aluno e biógrafo ) que o aconselhou a se afastar destes fenômenos , por alguns, considerados extra – sensoriais.
  • Era um método novo, que não tinha o estigma da Hipnose.
  • Financeiramente, rendia muito mais, pois o paciente permanecia durante vários anos – seis dias por semana, contra poucas sessões de Hipnose. As pacientes, em geral , filhas de famílias abastadas, podiam sustentar longos tratamentos. Hoje, este constitui seu maior empecilho, pois o Mundo Moderno além de girar mais rápido, é constituído em sua grande parte, por famílias cujo orçamento não comporta longos e caros tratamentos. Freud era do Século XIX e a Histeria fruto da “Era Vitoriana” – pois a repressão sexual se intensificou quando a rainha Vitória ficou viúva (1861). O prazer sexual das mulheres era inadmissível , sendo a falta de desejo sexual um importante aspecto da feminilidade. Lord Acton escreveu: “Felizmente para a sociedade, a idéia de que a mulher possui sentimentos sexuais pode ser afastada como uma calúnia vil “.
  • Freud afirmou, também, que a Hipnose não permitia o trabalho analítico aceder às “resistências” do paciente. Desta forma, deixou de perceber seu grande e inestimável valor que é, justamente, levar o paciente a sair do “Estado Consciente” (área do pensamento e raciocínio, onde pode se defender ou resistir a fazer as alterações e modificações de Esquemas Mentais) e entrar no que ele denominava “Estado Inconsciente”, onde poderia vivenciar as emoções que ficaram guardadas com as lembranças reprimidas – suporte dos Esquemas Mentais – e removê-las de forma mais eficiente e rápida. Entretanto, naquele momento, ele não tinha os conhecimentos necessários de Neurofisiologia que, poderiam explicar estas dificuldades; ou seja, que a necessidade de “resistir” ocorre porque, mudar estes “Esquemas”, implica em romper padrões emocionais que ficaram condicionados no momento da aprendizagem e que demandaram alta carga de energia. Além disto, o Cérebro busca o que pode para se adaptar às situações (tentativa de equilibrar o meio interior com o exterior) , uma vez que, para o Organismo, questões ligadas à Sobrevivência (emoções) são difíceis de serem alteradas – pois podem levá-lo à Morte. Mais tarde, Pavlov demonstrou este processo brilhantemente – Teoria da Atividade Nervosa Superior (ANS) – o que garantiu-lhe o prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia, em 1904.
  • Entretanto, Freud (1919) admitiu que a Hipnose encurtava o tempo do tratamento Psicanalítico.
  • Psicanálise utiliza Técnicas de Hipnose – Seu novo método, denominado “Associação Livre” ,”Cura pela fala” ou “Cura catártica”,, consistia em deixar o paciente deitado num divã, concentrado, relatando tudo que viesse à mente. Na verdade, o “Estado de Concentração” nada mais era do que um “Estado de Inibição Cortical” que, mais tarde, foi descrito por Pavlov no Congresso de Fisiologia em Edimburgo: “Hipnose é uma inibição cortical difundida, com uma zona vígil excitável”. Podemos, hoje, compreender que no processo Psicanalítico o paciente produz uma “Auto – Hipnose” – atenção concentrada em si mesmo, cuja zona vígil é a própria fala, enquanto na Hetero- Hipnose, a zona vígil é a voz do Hipnoterapeuta.Ou seja, o paciente somente faz um “insight” quando entra num estado alterado de consciência – Hipnose e acessa suas memórias.

 

Perigos da Hipnose – Foi fácil e conveniente, então,naquela época, exagerar os Perigos da Hipnose, pois ela já estava sendo difundida nos palcos do mundo inteiro, com uma conotação pejorativa. Infelizmente,este Paradigma se manteve por muitos anos.

Coué – Apesar do interesse pela Hipnose ter diminuído a “Nova Escola de Nancy” – rapidamente se espalhou graças aos trabalhos deste farmacêutico, que demonstrou ser o melhor momento para fazer a “Auto- sugestão” o “Estado Hipnagógico” – intermediário entre a vigília e o sono (ondas alfa), momento que o Cérebro aceita , sem grandes resistências, as Sugestões.

● Baudouin – Professor da Universidade de Genebra – ampliou esta idéia ao afirmar “a Sugestão se reduz sempre a uma Auto- Sugestão”, o essencial passa pelo paciente – “A Idéia se transforma subconscientemente em ato”. Ele pedia aos pacientes que, antes de dormir, afirmassem: “cada dia vou me sentir melhor”.

Pavlov x Hipnose Científica (1923 ) – No II Congresso Internacional de Fisiologia, em Edimburgo , afirmou: “a inibição interna, o sono, e a hipnose são um só e mesmo processo” – a Hipnose é uma inibição cortical difundida, com uma zona vígil excitável. Yugov afirmou que ele retirou a Hipnose da “nebulosidade mística e superstição para o campo da Ciência”.

 

  • Demonstrou que, no Córtex Cerebral, existe a representação de todo o Organismo. Através dele, se pode intervir nos processos orgânicos e, sendo a palavra um fator fisiológico, ela se torna poderosa na ” Fase paradoxal do Estado Hipnótico”.
  • Afirmou que a Palavra é um ” Excitador Universal”, formando o “Segundo Sistema de Sinais” da realidade . É o “Sinal dos Sinais”.
  • Que a Sugestão, durante o Estado Hipnótico – quando a palavra é débil , pode apagar dores físicas (Fase Paradoxal – profunda).

Becheterev – Criador da Reflexologia – contribuiu para a compreensão dos fenômenos Hipnóticos, a partir dos trabalhos de Pavlov.

● Hadfield – Depois da Primeira Guerra Mundial, criou o termo ” Hipnanálise” – método que utiliza o Transe para o paciente rememorar o momento do trauma e liberar as emoções relacionadas com a experiência.

David Akstein – Médico Psiquiatra- fundador da Sociedade Médica de Hipnose – In “Hipnologia”, ed. Hypnos, 2005, afirmou que a “Palavra” atua, através do analisador auditivo, sobre o Córtex Cerebral alterando os dois processos básicos da ANS : Excitação e Inibição. É, portanto, capaz de originar emoções positivas ou negativas.

 

A PALAVRA

“Com a palavra o homem compõe em versos”

Fala de amor e de esperança.

Mas também pode citar sentenças.

Incutir o medo e desconfiança.

A dor e a discórdia.

Pode construir e destruir.

Fazer a felicidade ou fazer o desalento.

É pela palavra que declaramos a guerra.

É por meio dela que obtemos a paz.

Pela palavra elevamos nossas orações.

E através dela praguejamos e vilipendiamos.

Afirmamos verdades.

Difundimos a mentira.

Fazemos o bem e praticamos o mal.

Abençoamos e abominamos.

Pela palavra é que se identifica o bom.

E por meio dela se reconhece o mau.

O fiel do infiel.

O mentiroso do autêntico.

O amigo do inimigo.

Com a palavra podemos conquistar o poder.

E pela palavra nos precipitamos no ostracismo.

E, no entanto que é o saber?

– Apenas uma palavra…”

(Álvaro Badra)

 

Edy Maria Alves de Oliveira – Autora do requerimento ao Conselho Federal de Psicologia , solicitando a inclusão da Hipnose como uma Técnica de trabalho , observou que a” Indução Hipnótica” deveria levar em conta a Predominância do tipo de Hemisfério; ou seja, as Técnicas de Hipnose devem ser aplicadas de acordo com o as características de cada Cérebro.

Tipos de Predominância Cerebral

■ Sujeitos com predominância do Hemisfério Cerebral Direito e do primeiro Sistema de Sinais – a realidade concreta – Emocionais, irracionais – parecem ser os mais suscetíveis(sua atuação cerebral é mais voltada para o meio interior).

■ Sujeitos com predominância do Hemisfério Cerebral Esquerdo e do Segundo Sistema de Sinais – a palavra – Verbais, Racionais, objetivos, analíticos e parecem ser os mais resistentes( sua atuação cortical é mais voltada para o meio exterior).

■ Sujeitos que atuam sem predominância de Hemisférios – Racionais e emocionais – quando bem motivados ou com as emoções afloradas podem apresentar boa suscetibilidade mas, em geral, apresentam resistências se estão no plano consciente (pensamento, raciocínio).

■ O meio ambiente tem características constantes e outras variáveis. Quando ocorrem mudanças, os Reflexos Incondicionados correspondentes deixam de adaptar-se ao ambiente e o Organismo, após, vários “sinais” que funcionam como excitantes, apresentam Reflexos Condicionados. Estes, ligados às condições históricas do meio; bem como, sujeitos à criação destas condições (Pavlov).

● Neurofisiologia Moderna – Está, cada vez mais, ampliando e corroborando estas afirmações, principalmente, depois dos trabalhos de Damásio e Joseph LeDoux (Leia mais… em Neurofisiologia Moderna). Desta forma, propiciando o Renascimento da Hipnose – agora, alicerçada em exames mais apurados e científicos do Cérebro, demonstrando, assim, que o “Estado de Hipnose” é uma condição natural do Cérebro que “ora se excita”, ora se inibe”. Desde o momento que nascemos e, durante toda a Vida, estes processos estão presentes. Desta forma, quando se está concentrado em qualquer atividade, o Cérebro está inibido para outras atividades, apresentando um “Estado de Hipnose Leve . Entretanto, o que não se sabia era que, dependendo do tipo de predominância dos Hemisférios(Emocionais, Racionais e Emocionais- Racionais) se entrava neste processo de forma mais profunda. Inclusive, automaticamente, produzindo Auto – Hipnose; bem como, alguns Cérebros – com alta capacidade de Inibição Cortical podem aprender ou fazer coisas abaixo da percepção Consciente – subliminarmente ou, em casos extremos , desenvolver patologias.

  • Auto-hipnose – A própria pessoa faz a Sugestão em si mesmo (negativa ou positiva).
  • Hetero-hipnose – Hipnoterapeuta contribui para o processo, principalmente, quanto à motivação – fundamental para um bom trabalho de Hipnoterapia. É, um excelente Recurso Terapêutico, tanto para pessoas normais (mudanças de comportamentos inadequados ou de Esquemas Mentais que interferem no bom desenvolvimento do Organismo), como casos mais graves e patológicos.

● Hipnoterapia Moderna – Não apresenta nenhum perigo quando é realizada por profissionais habilitados, em seus respectivos Conselhos e específicas áreas de atuação ( Psicólogos e Médicos Psiquiatras) constituindo-se, além disto, numa excelente ferramenta de trabalho na remoção de sintomas ou enfermidades que impedem o Equilíbrio do Organismo.

● Hipnose no Brasil – Três Conselhos, na área de Saúde, reconheceram a Hipnose como Técnica de trabalho, para abreviar e ajudar no tratamento de sintomas e enfermidades, em suas respectivas áreas de atuação : Psicologia , Medicina e Odontologia.

Leia mais … em Legislação sobre Hipnose no Brasil.

Share